Home / Famosos / Valesca Popozuda estampa a capa da edição de fevereiro da revista “Styllus”‏

Valesca Popozuda estampa a capa da edição de fevereiro da revista “Styllus”‏

A cantora Valesca estampa a capa da edição de fevereiro da revista ” Styllus”.
Além de conceder uma entrevista, a diva do Funk Pop fez um ensaio exclusivo para a publicação.
Crédito das Fotos: Helmut Hossmann
Tratamento das Imagens: Max Mídia Produções
Entrevista na Íntegra realizada por Sabrinna Zanini
Sabrinna Zanini: Depois do hit “Beijinho no Ombro”, seu público ampliou-se pelo Brasil, conquistou até mesmo os que não eram admiradores do funk. Como você se sente diante do assédio dos fãs pelo país?Valesca: Eu adoro e sou muito grata a Deus por ter me dado a chance de trabalhar com o público. Amo o contato com pessoas que eu não conheço, mas que sabem muito sobre mim.Sabrinna Zanini: As músicas interpretadas por você ” Agora sou solteira e Agora virei puta”, são músicas bastante cantadas em seus shows. Muitas pessoas vibram com esses dois hits, por se identificarem com a letra. Como você vê a aceitação do “funk proibidão” fora do Rio de Janeiro, onde ele nasceu?

Valesca: Sempre teve uma aceitação muito forte, quando comecei a viajar pelo Brasil, na primeira vez eu subi no palco e cantei a versão “mais light” e o público reclamou, tive que voltar e cantar a versão “proibidão”. Foi bom saber que o público curtia.

Sabrinna Zanini: A música “Eu sou a diva que você quer copiar” é o maior sucesso nas rádios do país, você realmente é a imagem que grande parte das mulheres brasileiras se espelha. Você se sente uma “Diva”?

Valesca: Na verdade quando eu falo “Eu sou a Diva que você quer copiar”, eu não me refiro somente a mim, digo no sentido geral, o que todas as mulheres gostariam de dizer para as outras que “pegam no pé dela”. Hahahha…

Sabrinna Zanini: “Tá pra nascer homem que vai mandar em mim”, com um contexto super moderno e feminista. A música retrata a sua postura diante dos homens? Como é a Valesca na vida amorosa?

Valesca: Sou muito romântica, bem atenciosa, mas tenho uma personalidade muito forte que não abre espaço para o homem ditar o que vou ou não fazer, comigo não funciona assim.

Sabrinna Zanini: Como conhecedora da vida das comunidades cariocas, o que você acha dos projetos sociais? Está envolvida em algum no momento?

Valesca: Eu sempre estou envolvida em projetos sociais. Gosto muito de participar e apoio 3 projetos. Um eu sempre falo que é “Seja um craque e não use Crack”, os outros dois eu prefiro não detalhar muito porque eu participo e ajudo financeiramente. Torço para que a política e a sociedade participem mais desses projetos que existem por aí. Tem muita gente precisando.

Sabrinna Zanini: Com uma agenda lotada de shows e participações em programas de TV. Qual a sua relação com a família?

Valesca: Eu procuro em minha folga dar atenção a eles. Estou diariamente, mesmo em viagens,  em contato com minha mãe e meu filho, não deixo eles “de lado” em momento algum.

Sabrinna Zanini:
 Com o título de “Raínha do Funk”, tem alguma outra funkeira na qual você admira o trabalho?

Valesca: Tem muitas, tem os funkeiros também, eu gosto de quem faz um trabalho limpo e leva o funk para todo lugar do Brasil, não vou citar nomes senão posso esquecer alguém e acabar sendo injusta.

Sabrinna Zanini: Vejo todos os participantes de Reality Shows falando quando saem do confinamento que aprenderam muito com a convivência. Para uma mulher com experiência de vida como você, “A Fazenda”, te trouxe algum ensinamento, fez alguma diferença ou não?

Valesca: Fez toda diferença, pode acreditar. Lá dentro eu amadureci mesmo, aprendi muito a dar valor a tudo, principalmente ao Tempo. Percebi que tudo é questão do tempo, pois ele dita a nossa vida.

Sabrinna Zanini: Você é um marco do Carnaval Carioca, qual seu projeto para o Carnaval desse ano?

Valesca: Mais uma vez vou trabalhar ao invés de desfilar, ficarei assistindo depois pela TV, colocarei para gravar, mas minha agenda graças a Deus está lotada e eu venho trabalhando no carnaval inteiro.

Sabrinna Zanini: Se você tivesse que fazer um agradecimento por tudo de bom que tem acontecido na tua vida profissional, por todo o teu sucesso, quais seriam as pessoas indispensáveis que você citaria e o que gostaria de dizer a elas?

Valesca: Nossa, difícil essa! Deus, Claro. Minha família, amigos e fãs. Mas na verdade eu passaria uns 10 anos aqui com você agradecendo à todos que eu gostaria. Hahahahaha…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

%d blogueiros gostam disto: