Home / Moda / Projeto Moda Rio se consolida como evento sobre conhecimento de moda em calendário carioca

Projeto Moda Rio se consolida como evento sobre conhecimento de moda em calendário carioca

Em sua 5ª edição, muitos aprovam a iniciativa pelo profissionalismo

 

O Studio do Cais, no santo cristo, zona portuária do Rio virou a cada dois meses palco que serve de passarela para quem sonha e quer viver de moda graças ao Projeto Moda Rio. A 5ª edição da iniciativa, que ocorreu no último sábado, com nove horas de duração teve mais uma vez a aprovação do público, dos convidados e, dos modelos que já participam desde a primeira edição. Desta vez foram sete palestrantes só no período da manhã. O tema central, além da história de vida e trajetória profissional de cada um foi: “Empreendedorismo, revitalização social e as startups cariocas na moda”.

Quem mediou as rodas de conversa foi o idealizador do projeto, o produtor de moda e coach, Wallace Safra. Ele teve a responsabilidade de comandar um time afiado no mundo da moda e artístico: Douglas Guedes, coach de passarela; Sam Gonçalves, modelo de São Paulo, que desfilou nas últimas edições do São Paulo Fashion Week; Bruno Barboza, ator, que está no ar na novela das 21h da Rede Globo; Luana Maria, uma das criadoras da marca Acorda; Élida Aquino e Bárbara Vieira, criadoras da AfrôBox e Célia Domingues, presidente da Associação de Mulheres Empreendedoras do Brasil (Amebras).

Para Ana Carolina Esteves, estudante de 16 anos, o projeto Moda Rio é diferente de tudo o que já conheceu. Ela gostou tanto, que já pensa em fazer parte da grade de modelos do projeto.

 “Gostei de tudo o que vi e recomendo a todos! Conheci o projeto num evento em Nova Iguaçú e vim ver como era. Há dois anos que penso em ser modelo. Já passei por algumas agências que não levaram a sério, ainda bem que conheci o projeto e vou até o fim se for possível para alcançar meu sonho”, revelou Ana Carolina.

Ruth Sueli da Silva, mãe de Ana Carolina, sempre acompanha a filha, pois sabe do sonho dela. Para a mãe é um alívio quando se encontra um projeto sério, que mexe com o futuro de muitas pessoas, que pode se confiar.

“Achei tudo maravilhoso, gostei muito das palestras, vi que os modelos estão bem dedicados. A parte que mais gostei foi a aula de passarela, onde podemos ver todos desfilarem, colocar em prática os ensinamentos. Estou sempre ao lado da minha filha, é o sonho dela, dou todo o apoio”, contou a mãe.

Para Nadia Canet, de 19 anos também foi a primeira vez que participa do projeto. Ela se surpreendeu com o profissionalismo de todos, principalmente, com a aula de passarela, onde os modelos são corrigidos na hora. Ela ficou muito feliz de ter ido.

“Tudo o que foi passado aqui é muito importante, gostei da forma bem profissional com que foi ministrada a aula de passarela, todas as dicas. Foi muito gratificante ter participado!”

Já para Nelson Dutra, modelo de 24 anos, cada edição é uma chance para aprender mais. Ele deixou a luta profissional para se dedicar a nova carreira e só tem ganhado, pois já considera várias mudanças em sua vida.

“Muita coisa mudou desde que entrei para o projeto, minha forma de me vestir, falar, andar, meu peso. Estou muito feliz!”

Rafael de Félix, bailarino e diretor artístico, que ministrou a oficina de expressões e movimentos corporais contou que é muito importante para eles saberem exercícios que possam deixa-los mais tranquilos antes de trabalhos para não passarem expressão de tensão. Ele ficou maravilhado com a beleza dos modelos e adorou a forma de aprendizado dos jovens na edição do projeto.

“A arte em geral, dança, teatro estão muito atrelados à questão da moda. Há tensão, nervosismo, insegurança neles quando desfilam, mas isso acontece com os artistas. Afinal a passarela é o palco do modelo. Eu procurei trabalhar, dar exercícios para que eles possam ficar mais relaxados antes de um desfile, por exemplo, de um trabalho, para controlar o emocional. O “friozinho na barriga sempre vai ter, é normal, mas têm que saber lidar com isso”, disse Rafael.

A parte da tarde foi a vez de todos colocarem em prática o que já aprenderam e corrigirem erros, através da aula de passarela com Wallace Safra e a produtora de moda e sócia proprietária da agência Workshop Models, Kamila Lima. Esse é um momento tenso para os jovens porque são avaliados na hora. Porém, em contra partida muito valioso, pois têm a oportunidade de desfilarem várias vezes até acertarem.

 Após, houve a oficina de expressões e movimentos corporais com o bailarino e coordenador artístico Rafael de Félix. Todos gostaram muito, pois depois da tensão na passarela veio a hora de descontrair com os exercícios que o Rafael passou. A maioria das tarefas foi feita em dupla, o que ajuda na interação dos jovens.

 A experiência de um dia de aprendizado é muito rica para todos. Cada palestrante passou seu conhecimento, a luta de começar do nada e chegar aonde chegaram. Todos são inspiração para aqueles que estão começando. Os convidados quando saíam das palestras falavam o quanto tinham gostado de participar, de poder contribuir um pouco que seja para a formação de novos profissionais.

 A iniciativa que vai agora para sua sexta edição teve rápido crescimento em pouco tempo, pois a estreia foi em novembro do ano passado. Até a quinta edição circularam cerca de 300 pessoas. Para o projeto, o gestor conta com uma equipe de profissionais como fotógrafos, maquiadores, assistentes de produção, produtores e, é claro, modelos.

Os jovens participantes têm entre 15 e 50 anos, são de diversas áreas do estado do Rio. Para esta edição o projeto também tem a ajuda de dois parceiros: a tradicional Água Branca Padaria&Confeitaria de Realengo com 50 anos de história e, do massoterapeuta Thiago Rocha, que fará dois tempos de massoterapia, de dez minutos cada com sorteados.

Além de ajudar novos talentos a ingressarem a carreira, de forma acessível a todos, principalmente, jovens negros, pois o mercado ainda carece desse perfil, são cerca de 60% dos atuantes no projeto, o gestor explica que o Projeto Moda Rio tem a intenção de recolocar o Rio de Janeiro no circuito da moda nacional. Segundo Wallace, o Rio vem perdendo ótimos profissionais para outros estados como São Paulo, por conta da falta de mercado e investimento no setor.

Onde acompanhar o Projeto Moda Rio e saiba mais:

 ·        Página no facebook – https://www.facebook.com/projetomodario

·        Instagram – https://www.instagram.com/projetomodario/

      

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*