Home / César Magalhães / BASF ajuda criar silêncio total no museu Guggenheim de NY

BASF ajuda criar silêncio total no museu Guggenheim de NY

Em Nova York o barulho é constante e a cidade é classificada entre as 10 mais barulhentas do mundo. O ruído dos restaurantes atinge mais de 90 decibéis e os metrôs correndo pela cidade registram mais de 80 decibéis. Até 2 de agosto, o museu Solomon R. Guggenheim oferece uma fuga serena e silenciosa: o PSAD Synthetic Desert III.

O trabalho de arte, idealizado por Doug Wheeler, realizado pelo Museu Guggenheim e patrocinado pela BASF Corporation, manipula som, luz e espaço em uma “câmara semi-anecóica” (sem eco), projetada para suprimir todos os níveis de som ambiente à exceção dos sons mais baixos. A construção faz uso, em parte, da tecnologia de supressão de som que é normalmente aplicada em experiências e testes no âmbito da engenharia de som. A iluminação e a configuração da sala também são projetadas para induzir uma impressão óptica de espaço infinito. Wheeler compara a impressão visual e acústica do Synthetic Desert III com sua própria experiência nos desertos do norte do Arizona, onde as condições praticamente sem barulho influenciam profundamente a sensação visual de distância.

“O silêncio, como sabemos, mede 30 decibéis, e a câmara semi-anecóica de Wheeler medirá na faixa de 10 a 15 decibéis – tão silenciosa que seria possível ouvir o seu próprio batimento cardíaco”, comenta Doyle Robertson, especialista em espuma de melamina, BASF, América do Norte.

 As propriedades anecóicas da câmara são parcialmente viabilizadas por um produto conhecido como Basotect®, uma espuma de melamina flexível, de células abertas, com propriedades de alta absorção de som. A espuma Basotect é usada em uma variedade de arquiteturas, construções e aplicações industriais, como nas cabines de elevadores dos arranha-céus de Nova York, onde ela isola o ruído de alguns dos elevadores mais rápidos (até 37 Km/ hora) na América do Norte.

Através da mistura entre a química, arte e arquitetura, a atração do Guggenheim contará com 400 pirâmides e 600 placas de Basotect cobrindo o assoalho da câmara, paredes e teto.

A curadora do museu Guggenheim, Francesca Esmay, o curador sênior, Jeffrey Weiss e a diretora de Design da exposição, Melanie Taylor, trabalharam por dois anos com o artista para produzir a atração, que foi inicialmente idealizada em 1971, mas será construída pela primeira vez. A equipe selecionou cuidadosamente o material para construir a peça.

“A espuma Basotect foi a escolha ideal para a atração do Guggenheim devido às propriedades e capacidades de design”, considera Joerg Hutmacher, CEO da pinta acoustic, que desenvolve tetos em 3D e produtos para aplicação em paredes para controle acústico. “Eu não conheço nenhum outro produto que poderia ter sido usado para fazer o que o artista imaginou”, afirma.

Devido à sua alta capacidade de absorção de som, juntamente com a sua habilidade de ser moldada em praticamente qualquer forma, a espuma Basotect empodera e inspira arquitetos, designers, engenheiros de som e outros profissionais, criando espaços com uma acústica adequada e esteticamente agradáveis – seja uma arena de esportes, um local de shows ou um estúdio de gravação. Basotect também tem excelentes propriedades na presença de fogo, e é extremamente leve e fácil de instalar.

 Sobre a BASF

Na BASF, nós transformamos a química para um futuro sustentável. Nós combinamos o sucesso econômico com a proteção ambiental e responsabilidade social. O Grupo BASF conta com aproximadamente 114 mil colaboradores que trabalham para contribuir com o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e países do mundo. Nosso portfólio é organizado em 5 segmentos: Químicos, Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais, Soluções para Agricultura e Petróleo e Gás. A BASF gerou vendas de mais de € 58 bilhões em 2016. As ações da BASF são comercializadas no mercado de ações de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurich (AN). Para mais informações, acesse: www.basf.com.br.

Im renommierten Guggenheim Museum in New York können sich Besucher bis Anfang August eine Installation des Künstlers Doug Wheeler ansehen, die aus dem schallabsorbierenden Spezialschaumstoff Basotect® der BASF besteht.
Das Kunstwerk PSAD Synthetic Desert III (Künstliche Wüste III) verändert den Klang in einem speziell konzipierten Raum mit Hilfe von mehr als 1000 Schaumstoffkörpern in Form von Pyramiden und Keilen, so dass fast alle Umgebungsgeräusche unterdrückt werden.
Foto: Guggenheim Museum, New York
Until August 2, at New York’s iconic Guggenheim Museum, visitors are invited to experience an installation by artist Doug Wheeler that is made of BASF’s sound-absorbing foam Basotect®. The art work PSAD Synthetic Desert III manipulates sound in a specifically conceived chamber by using more than 1000 pyramids and wedges covering the exhibit’s floor, walls and ceiling and thus suppresses all but the lowest levels of ambient sound.
Photo: Guggenheim Museum, New York

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*